Pré-escolar

A Educação Pré-Escolar está definida no art.º2 da Lei-Quadro da Educação Pré-Escolar (Lei n.º5/97, de 10 de fevereiro) como “a primeira etapa da educação básica no processo de educação ao longo da vida, sendo complementar da ação educativa da família, com a qual deve estabelecer estreita cooperação, favorecendo a formação e o desenvolvimento equilibrado da criança, tendo em vista a sua plena inserção na sociedade como ser autónomo, livre e solidário.”

 

Destina-se às crianças entre os 3 anos e a entrada na escolaridade obrigatória e tem como principais objetivos:

a) Promover o desenvolvimento pessoal e social da criança com base em experiências de vida democrática numa perspetiva de educação para a cidadania;

b) Fomentar a inserção da criança em grupos sociais diversos no respeito pela pluralidade das culturas, favorecendo uma progressiva consciência do seu papel como membro da sociedade;

c) Contribuir para a igualdade de oportunidades no acesso à escola e para o sucesso da aprendizagem;

d) Estimular o desenvolvimento global de cada criança, no respeito pelas suas características individuais, incutindo comportamentos que favoreçam aprendizagens significativas e diversificadas;

e) Desenvolver a expressão e a comunicação através da utilização de linguagens múltiplas como meios de relação, de informação, de sensibilização estética e de compreensão do mundo;

f) Despertar a curiosidade e o pensamento crítico;

g) Proporcionar a cada criança condições de bem-estar e de segurança, designadamente no âmbito da saúde individual e coletiva;

h) Proceder à despistagem de inadaptações, deficiências e precocidades, promovendo a melhor orientação e encaminhamento da criança;

i) Incentivar a participação das famílias no processo educativo e estabelecer relações de efetiva colaboração com a comunidade.

 

As Orientações Curriculares para a Educação Pré-escolar (OCEPE) baseiam-se nestes objetivos globais pedagógicos e destinam-se a apoiar a construção e gestão do currículo no jardim-de-infância, da responsabilidade de cada educador/a em colaboração com a equipa educativa do estabelecimento educativo/agrupamento de escolas

Nos jardins-de-infância do Agrupamento de Escolas Miguel Torga, o ambiente educativo é organizado, tendo a criança como agente ativo na construção da sua aprendizagem, desenvolvendo a responsabilidade social das crianças através da negociação da estrutura da sala e das regras. A planificação das atividades e a reflexão com as crianças sobre as ações desenvolvidas; o registo dos comentários das crianças em cada tempo da rotina, são favorecedores da estimulação da curiosidade e interesse.

A atividade pedagógica é desenvolvida numa perspetiva holística tendo subjacente uma intencionalidade educativa, que permite construir e gerir o currículo de uma forma transversal aos domínios e subdomínios das três áreas de conteúdo Área de Formação Pessoal e Social; Área de Expressão e Comunicação; Área do Conhecimento do Mundo.

Área de Formação Pessoal e Social – área transversal, com conteúdos e intencionalidade próprios, está presente em todo o trabalho educativo realizado no jardim-de-infância.

 

Esta área incide no desenvolvimento de atitudes, disposições e valores, que permitam às crianças continuar a aprender com sucesso e a tornarem-se cidadãos autónomos, conscientes e solidários: Construção da identidade e autoestima; Independência e autonomia; Convivência democrática e cidadania; Consciência de si como aprendente. Conhecer e aceitar as suas características pessoais e a sua identidade social e cultural, situando-as em relação às dos outros.

  • Reconhecer e valorizar laços de pertença social e cultural.

  • Saber cuidar de sie responsabilizar-se pela sua segurança e bem-estar.

  • Ir adquirindo a capacidade de fazer escolhas, tomar decisões e assumir responsabilidades, tendo em conta o seu bem-estar e o dos outros.

  • Ser capaz de ensaiar diferentes estratégias para resolver as dificuldades e problemas que se lhe colocam.

  • Ser capaz de participar nas decisões sobre o seu processo de aprendizagem.

  • Desenvolver o respeito pelo outro e pelas suas opiniões, numa atitude de partilha e de responsabilidade social.

  • Respeitar a diversidade e solidarizar-se com os outros.

  • Desenvolver uma atitude crítica e interventiva relativamente ao que se passa no mundo que a rodeia.

  • Contactar com diferentes formas de expressão artística (plástica, musical, dramática, …);

  • Conhecer e valorizar manifestações do património natural e cultural, reconhecendo a necessidade da sua preservação.

Área de Expressão e Comunicação – área básica, uma vez que engloba diferentes formas de linguagem que são indispensáveis para a criança interagir com os outros, dar sentido e representar o mundo que a rodeia. Sendo a única área que comporta diferentes domínios, é precedida de uma introdução que fundamenta a inclusão e articulação desses domínios.

  • Domínio da Educação Física – constitui uma abordagem específica de desenvolvimento de capacidades motoras, em que as crianças terão oportunidade de tomar consciência do seu corpo, na relação com os outros e com diversos espaços e materiais:

  • Cooperar em situações de jogo, seguindo orientações ou regras.

  • Dominar movimentos que implicam deslocamentos e equilíbrios como: trepar, correr, saltitar, deslizar, rodopiar, saltar a pés juntos ou num só pé, saltar sobre obstáculos, baloiçar, rastejar e rolar.

  • Controlar movimentos de perícia e manipulação como: lançar, receber, pontapear, lançar em precisão, transportar, driblar e agarrar.

  • Domínio da Educação Artística – engloba as possibilidades de a criança utilizar diferentes manifestações artísticas para se exprimir, comunicar, representar e compreender o mundo. A especificidade de diferentes linguagens artísticas corresponde à introdução de subdomínios que incluem:

  • Artes visuais: Desenvolver capacidades expressivas e criativas através de experimentações e produções plásticas; Reconhecer e mobilizar elementos de comunicação visual tanto na produção e apreciação das suas produções como em imagens que observa.

  • Jogo dramático/teatro: Utilizar e recriar o espaço e os objetos, atribuindo-lhes significados múltiplos em atividades de jogo dramático, situações imaginárias e de recriação de experiências do quotidiano, individualmente e com outros. Inventar e representar personagens e situações, por iniciativa própria e/ou a partir de diferentes propostas, diversificando as formas de concretização. Apreciar espetáculos teatrais e outras práticas performativas de diferentes estilos e características verbalizando a sua opinião e leitura crítica.

  • Música: Identificar e descrever os sons que ouve (fenómenos sonoros/música) quanto às suas características rítmicas, melódicas, dinâmicas, tímbricas e formais. Interpretar com intencionalidade expressiva-musical: cantos rítmicos 8com ou sem palavras), jogos prosódicos (trava-línguas, provérbios, lengalengas, adivinhas, etc.) e canções (de diferentes tonalidades, modos, métricas, formas, géneros e estilos). Elaborar improvisações musicais tendo em conta diferentes estímulos e intenções utilizando diversos recursos sonoros (voz, timbres corporais, instrumentos convencionais e não-convencionais). Valorizar a música como fator de identidade social e cultural.

  • Dança: Desenvolver o sentido rítmico e de relação do corpo com o espaço e com os outros. Expressar, através da dança, sentimentos e emoções em diferentes situações. Refletir sobre os movimentos rítmicos e as coreografias que experimenta e/ou observa. Apreciar diferentes manifestações coreográficas, usando linguagem específica e adequada.

  • Domínio da Linguagem Oral e Abordagem à Escrita – o desenvolvimento da linguagem oral é fundamental na educação pré-escolar, como instrumento de expressão e comunicação que a criança vai progressivamente ampliando e dominando, nesta etapa do seu processo educativo. Importa ainda facilitar, nesta etapa, a emergência da linguagem escrita, através do contacto e uso da leitura e da escrita em situações reais e funcionais associadas ao quotidiano da criança. Comunicação Oral; Consciência Linguística; Funcionalidade da linguagem escrita e sua utilização em contexto; Identificação de convenções de escrita; Prazer e motivação para ler e escrever:

  • Compreender mensagens orais em situações diversas de comunicação.

  • Usar a linguagem oral em contexto, conseguindo comunicar eficazmente de modo adequado à situação (produção e funcionalidade).

  • Tomar consciência gradual sobre diferentes segmentos orais que constituem as palavras (Consciência Fonológica).

    • Identificar diferentes palavras numa frase (Consciência da Palavra).

    • Identificar se uma frase está correta ou incorreta e eventualmente corrigi-la, explicitando as razões dessa correção (Consciência Sintática).

    • Identificar funções no uso da leitura e da escrita.

    • Usar a leitura e a escrita com diferentes funcionalidades nas atividades, rotinas e interações com os outros.

    • Reconhecer letras e aperceber-se da sua organização em palavras.

  • Aperceber-se do sentido direcional da escrita.

  • Estabelecer relação entre escrita e mensagem oral.

  • Compreender que a leitura e a escrita são atividades que proporcionam prazer e satisfação.

    • Estabelecer razões pessoais para se envolver com a leitura e a escrita associadas ao seu valor e importância.

    • Sentir-se competente e capaz de usar a leitura e a escrita, mesmo que em formas muito iniciais e não convencionais.

  •  Domínio da Matemática – tendo a matemática um papel essencial na estruturação do pensamento, e dada a sua importância para a vida do dia a dia e para as aprendizagens futuras, o acesso a esta linguagem e a construção de conceitos matemáticos e relações entre eles são fundamentais para a criança dar sentido, conhecer e representar o mundo. Identificar quantidades através de diferentes formas de representação (contagens, desenhos, símbolos, escrita de números, estimativa, etc.). Números e operações; Organização e Tratamento de Dados; Geometria e Medida; Interesse e Curiosidade pela matemática:

  • Resolver problemas do quotidiano, que envolvam pequenas quantidades, com recurso á adição e à subtração.

  • Recolher informação pertinente para dar resposta a questões colocadas, recorrendo a metodologias adequadas (listagens, desenhos).

  • Utilizar gráficos e tabelas simples para organizar a informação recolhida e interpretá-los de modo a dar resposta às questões colocadas.

GEOMETRIA

  • Localizar objetos num ambiente familiar, utilizando conceitos de orientação.

  • Identificar pontos de reconhecimento de locais e usar mapas simples.

  • Tomar o ponto de vista dos outros, sendo capaz de dizer o que pode e não pode ser visto de uma determinada posição.

  • Reconhecer e operar com formas geométricas e figuras, descobrindo e referindo propriedades e identificando padrões, simetrias e projeções.

MEDIDA

  • Compreender que os objetos têm atributos mensuráveis que permitem compará-los e ordená-los.

  • Escolher e usar unidades de medida para responder a necessidades e questões do quotidiano.

  • Mostrar interesse e curiosidade pela matemática, compreendendo a sua importância e utilidade.

  • Sentir-se competente para lidar com noções matemáticas e resolver problemas.

Área do Conhecimento do Mundo – é uma área em que a sensibilização às diversas ciências é abordada de modo articulado, num processo de questionamento e de procura organizada do saber, que permite à criança uma melhor compreensão do mundo que a rodeia, incluindo as Tecnologias de Informação e Comunicação. Introdução à Metodologia Científica; Abordagem às ciências; Mundo Tecnológico e Utilização das Tecnologias:

  • Apropriar-se do processo de desenvolvimento da metodologia científica nas suas diferentes etapas: questionar, colocar hipótese, prever como encontrar respostas, experimentar e recolher informação, organizar e analisar a informação para chegar a conclusões e comunica-las.

Conhecimento do mundo social

  • Tomar consciência da sua identidade e pertença a diferentes grupos do meio social próximo (ex. família, jardim de infância, amigos, vizinhança). Identificar pontos de reconhecimento de locais e usar mapas simples.

  • Reconhecer unidades básicas do tempo diário, semanal e anual, compreendendo a influência que têm na sua vida.

  • Conhecer elementos centrais da sua comunidade, realçando aspetos físicos, sociais e culturais e identificando algumas semelhanças e diferenças com outras comunidades.

  • Estabelecer relações entre o presente e o passado da sua família e comunidade, associando-as a objetos, situações de vida e práticas culturais.

  • Conhecer e respeitar a diversidade cultural.

 

Conhecimento do mundo físico e natural

  • Conhecer e identificar características distintivas dos seres vivos e identificar diferenças e semelhanças entre: animais e plantas.

  • Compreender e identificar diferenças e semelhanças entre diversos materiais (metais, plásticos, papéis, madeira, etc), relacionando as sus propriedades com os objetos feitos a partir deles.

  • Identificar, descrever e procurar explicações para fenómenos e transformações que observa no meio físico e natural.

  • Demonstrar cuidados com o seu corpo e de segurança.

  • Manifestar comportamentos de preocupação com a conservação da natureza e respeito pelo ambiente.

  • Reconhecer os recursos tecnológicos do seu ambiente e explicar as suas funções e vantagens.

  • Utilizar diferentes suportes tecnológicos nas atividades do seu quotidiano, com cuidado e segurança.

  • Desenvolver uma atitude crítica perante as tecnologias que conhece e utiliza.

© 2017 aemt

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now